Relações com Investidores
  • Recuperação Extrajudicial
  • |
  • |
  • Favoritos
  • MEUS DOWNLOADS ( 0 )

Aumentar a fonte Diminuir a fonte Voltar Voltar Imprimir Imprimir Enviar por e-mailE-mail Criar PDFPDF DownloadDownload Favoritar Compartilhe Compartilhar

2T16

 A Receita Líquida Ajustada consolidada atingiu R$346,2 milhões e o EBITDA Ajustado atingiu R$198,5 milhões, crescimentos de 24,6% e 23,3% comparados ao resultado pró-forma do mesmo período no ano anterior, principalmente, em função do aumento na arrecadação de rodovias do período pelo início da cobrança de pedágio das 11 praças da Concebra no final de junho de 2015.

 

Segmento de Rodovias: crescimentos de 61,9% no trimestre e 60,8% no acumulado do ano na receita bruta de arrecadação de pedágio, principalmente em função do início da cobrança de pedágio da Concebra, a maior concessão rodoviária do país, com 1.176,5 quilômetros de extensão. Excluindo o efeito da Concebra, a receita de arrecadação comparável cresceu 13,7% no 2T16 e 14,4% nos 6M16, devido a reajustes tarifários com ganhos, dentro outros fatores, da perda de eixos suspensos no período.

 

Segmento Portuário: a Portonave reportou EBITDA Ajustado de R$28,7 milhões (+12,8%) no 2T16 e R$62,8 milhões (+10,4%) nos 6M16, devido principalmente à entrada de cinco novas linhas de longo curso em julho de 2015, que já movimentaram cerca de 290 mil TEUs (36% do total).

 

Segmento Aeroportuário: crescimento da receita comercial no 2T16 e 6M16 de 46,5% e 29,9%, impulsionada pela transferência de todos os voos domésticos para o Novo Terminal de Passageiros (T1) em abril de 2016, um terminal moderno com capacidade para 25 milhões de passageiros, mais de 70 posições de check-in compartilhado e 56 totens de autoatendimento. 

 

Segmento de Energia: a Tijoá registrou uma receita bruta de R$14,4 milhões (+10,8%) no 2T16 e R$30,3 milhões (+15,3%) nos 6M16, principalmente devido ao reajuste do IPCA acumulado de junho de 2015.